NA RUA! Adolescentes envolvidos na "Barbárie de Queimadas" vão ser liberados do Lar do Garoto

Até o dia 12 de fevereiro, os três adolescentes acusados de participação na 'Barbárie de Queimadas' estarão nas ruas novamente.

A saída deles já foi confirmada pelo juiz da Vara de Infância e Juventude de Campina Grande, Max França, e deverá acontecer entre os dias 8 e 12 do próximo mês, quando completam os três anos máximos de internação permitidos por lei.
As famílias das vítimas já estão sabendo da saída deles e temem como será a convivência na cidade.
Os três acusados estão no Lar do Garoto, em Lagoa Seca, Agreste da Paraíba, desde o dia 12 de fevereiro de 2012, quando foram apreendidos ainda no dia do crime, junto aos demais adultos que já estão presos e condenados.
O juiz disse que eles podem sair até quatro dias antes do prazo, mas não pode informar o dia certo por questões de segurança e porque o processo segue em segredo de justiça.
Apesar do crime bárbaro cometido, o magistrado explicou que não há como ampliar a internação.
“Temos que cumprir o Estatuto da Criança e do Adolescente. Eles foram acusados de um crime muito violento, mas já estão chegando ao fim dos três anos máximos que podem permanecer internados. Depois que saírem, eles estarão livres para seguirem suas vidas sem dever mais nada à Justiça”, frisou o magistrado Max França.
Durante os três anos em que passaram no Lar do Garoto, os acusados assistiram aulas escolares e receberam acompanhamento psicossocial.
A cada seis meses eles passaram por avaliações de comportamento e rendimento nas atividades submetidas e tiveram bons resultados.
Os três adolescentes passarão pela última avaliação no final de janeiro.
“Eles tiveram um bom comportamento, sempre foram obedientes e não se envolveram em confusões, tendo uma relação tranquila dentro dos alojamentos. Eles só não saíram antes, por conta da gravidade do ato infracional cometido”, disse o juiz.
Izânia Monteiro, irmã de Izabela Pajuçara, uma das vítimas assassinadas após o estupro, disse que a família não está preparada para rever os três acusados na rua.
“A gente sempre conversa sobre a saída deles, pois sempre soubemos que esse dia iria chegar, mas a verdade é que nós não estamos preparados para ficar cara a cara com aqueles que de maneira covarde amarraram, amordaçaram, violentaram e depois mataram as pessoas que nós amamos e agora não estão mais conosco”, lamentou a irmã.
As famílias das vítimas já agendaram uma missa em homenagem às mulheres violentadas para o próximo dia 12 de fevereiro quando o crime completa três anos.
Ainda de acordo com os parentes, nos últimos dias a população de Queimadas tem comentado a saída dos três acusados e acreditam que eles não deviam voltar mais à cidade.
“Infelizmente não há mais o que fazer, pois a justiça aqui na terra já aconteceu. É um absurdo saber que eles já vão sair, mas essas são as leis de nosso país. Agora vamos ter que aprender a conviver com eles novamente na sociedade. Não sei como será ver eles nas ruas livres e pedimos força a Deus para enfrentar esse momento. Agora as portas da Justiça se fecharam e temos que encarar esta realidade”, acrescentou Izânia.
Os demais envolvidos cumprem pena em João Pessoa.

Por Jornal da Paraíba

About Queimadas No Foco

Queimadas No Foco
Recommended Posts × +

0 comentários:

Postar um comentário