Veja destaca que opinião de Cássio teria motivado veto ao marqueteiro da campanha de Aécio

A revista Veja desta semana, destacou na coluna do jornalista Lauro Jardim que a opinião do senador paraibano Cássio Cunha Lima (PSDB) foi um dos motivos que determinou o rompimento do senador Aécio Neves (PSDB), com o seu marqueteiro Renato Pererira.

De acordo com a coluna, em uma reunião em agosto no Rio de Janeiro, Pereira apresentou a Aécio, Tasso Jereissati e a Cássio a proposta para o programa de TV que o PSDB exibiria, nela ele defendeu que Aécio fosse a TV para dizer que adotaria programas como o da UPP e outros que Sérgio Cabral implantara no Rio.


O jornalista destaca que foi Cássio quem apontou o erro, falando sobre a incoerência de ligar Aécio a um governador que está sofrendo com rejeição acima dos níveis aceitáveis.

Veja o que disse Lauro Jardim:


A gota d’água


O rompimento entre Aécio Neves e Renato Pereira ocorreu em dezembro, mas há meses a cúpula da campanha tucana dava como certo que o marqueteiro não comandaria a campanha do PSDB em 2014.


De acordo com o que senador Cássio Cunha Lima narrou a alguns interlocutores, o destino da parceria foi selado numa reunião em agosto no Rio de Janeiro, na sede da Prole, empresa de Pereira.


Nela, Pereira apresentou a Aécio, Tasso Jereissati e a Cunha Lima a proposta para o programa de TV que o PSDB exibiria em breve. Pereira defendeu que Aécio fosse a TV para dizer que, se eleito, adotaria programas como o da UPP e outros que Sérgio Cabral implantara no Rio.


Pereira é há quase uma década o marqueteiro de Cabral, que vivia, então, o seu pior momento em termos de popularidade. Cunha Lima foi o mais veemente, na tal reunião, em vetar a ideia de relacionar Cabral com Aécio. Ali, a confiança entre as partes foi trincada para sempre.

Por PB Agora

About Queimadas No Foco

Queimadas No Foco
Recommended Posts × +

0 comentários:

Postar um comentário